Quem somos | Materiais Educativos | Fale com nosso consultor
Post

Como diminuir a fraude no boleto bancário?

A Nova Plataforma de Cobrança elaborada pela Febraban (Federação Brasileira de Bancos) em parceria com a rede bancária tinha por objetivo trazer mais comodidade e segurança para os clientes, diminuindo assim a fraude no boleto bancário. Quando se instaurou o processo do boleto registrado, a Febraban tinha o objetivo de centralizar o processo e eliminar o prejuízo de aproximadamente R$ 450 milhões em fraudes no boleto.

Contudo, os golpes praticados pelos fraudadores se tornaram mais sofisticados e criativos e isso acaba sendo um pouco assustador, pois estamos falando do segundo método de pagamento mais utilizado no Brasil.

O boleto tem este status, de ser a segunda forma de pagamento mais utilizado, por ser democrática, sendo que para sua utilização, não é necessário que o pagador tenha uma conta bancária, além disso o Brasil conta com aproximadamente 60 milhões de pessoas sem vínculos bancários.

Neste artigo vou te mostrar os tipos mais comuns de fraude no boleto e como você pode se precaver.

 

1 – Site falso

Este é um dos golpes que mais têm sido praticados pelos fraudadores atualmente, onde ele se passa por um vendedor e oferece um produto ou serviço que nunca existiu.

O que tem sido muito comum é a vítima receber um e-mail marketing como se fosse de uma grande loja oferecendo algum produto com valor abaixo dos praticados pelo mercado, como sendo algo promocional, com pagamento à vista no boleto bancário. A vítima então, ansiando por ter o produto em questão, clica no link enviado e é direcionado para um site clonado, ou seja, exatamente igual ao da loja que está em destaque no e-mail.

Pensando ser uma oferta legítima, a vítima acaba “efetuando a compra” e então é confirmada a fraude.

Mas como evitar cair neste golpe?

  • Ao receber o e-mail, verifique se você realmente autorizou a determinada loja te enviar promoções através de suas newsletter.
  • Se sim, verifique se o remetente do e-mail está correto, contendo o domínio da loja.
  • Se estiver seguro, clique no link e ao abrir, analise se a URL do site é o mesmo da loja.
  • Você poderá também abrir o site da loja, pesquisar pelo produto e conferir se o valor original informado é o mesmo que está no e-mail e também saber se há semelhança nas URLs.

 

2 – Vírus do boleto

Também conhecido como bolware é um vírus que infecta o computador normalmente quando há conexões com dispositivos infectados, como pendrives, celulares, HDs externos ou até mesmo acessando conteúdos impróprios.

Neste tipo de fraude, o malware age interceptando as informações do boleto e fazendo a alteração dos seus dados como linha digitável, conta de destino, etc.

Após a alteração dos dados, quando a vítima efetuar o pagamento do boleto, o dinheiro que seria destinado para a conta X, irá ser creditado na conta do fraudador. Desta forma, tanto o consumidor quanto a empresa emissora da cobrança ficarão no prejuízo.

Como evitar o golpe do bolware?

  • Tenha em seu computador um antivírus instalado e sempre o mantenha atualizado.
  • Quando estiver utilizando uma rede diferente, como cafeterias, restaurantes, é recomendável que não clique em documentos estranhos enviados por e-mails desconhecidos, que não utilize internet banking.
  • Caso cometa algum erro e sua máquina seja infectada, faça a limpeza utilizando o seu antivírus e após isso solicite ao seu fornecedor que envie uma segunda via do boleto, evitando assim efetuar um pagamento de uma cobrança adulterada.

 

3 – Cobranças com nome de órgãos públicos

Acontece também o caso dos consumidores receberem boletos em nome de órgãos públicos como Receita Federal, Detran, entre outros.

Quando receber um boleto por e-mail, olhe o nome do Sacador/Avalista e se este for algum órgão público, não pague, pois estas instituições não enviam boletos por e-mail, certamente você está sendo uma vítima de fraude.

 

4 – Sequestro de estoque

Não pense que somente as pessoas físicas sofrem com a fraude do boleto. O golpe do sequestro de estoque tem acontecido com muita frequência no comércio eletrônico. Ele normalmente é cometido por algum concorrente desleal onde o mesmo compra uma grande quantidade do produto que está com um valor promocional e seleciona o boleto como opção de pagamento.

A loja que recebe o pedido, separa então o produto aguardando a confirmação do pagamento. Só que os boletos nunca serão pagos, fazendo assim com que as compras sejam canceladas.

O lojista fica lesado por ter seus produtos parados em estoque, sem poder vendê-los para quem realmente precisa. Por outro lado, o seu concorrente que realizou o sequestro do estoque, venderá o mesmo produto para clientes reais, talvez, também por um valor promocional.

Comerciantes também precisam utilizar de sistemas antifraudes para identificar compras suspeitas ou até mesmo limitar a quantidade de produtos por comprador.

 

Mas como gerar boletos de forma mais segura?

Utilizando um intermediador de pagamento, você pode gerar suas cobranças sem burocracia, sendo pessoa física ou jurídica. Com o boleto registrado, é necessário que a cobrança tenha o nome completo ou razão social do pagador, bem como CPF ou CNPJ e o endereço, além da data de vencimento e valor da fatura.

Saiba como escolher um emissor de boletos.

Além disso, algumas pessoas ainda têm dúvidas se é possível inserir os valores de juros e multas em seus boletos utilizando um sistema de intermediação de pagamento. A resposta é sim, é possível e no Padmoney você pode inclusive inserir um desconto para caso o seu cliente pague o boleto de forma antecipada, definindo que este desconto seja em percentual ou em valor monetário.

Leia também: 5 dicas para diminuir a inadimplência no seu negócio.

O Padmoney também envia lembretes de pagamento, seja antes ou após o vencimento do boleto. Com isso você pode reduzir a sua inadimplência. Caso queria conhecer mais do Padmoney, fale com um consultor e veja como o sistema pode agregar em seu negócio.

Robelio Junior

Um mineiro graduado em computação, que se apaixonou pelo marketing digital e trabalha na área desde 2012. Torcedor do São Paulo Futebol Clube e chef de cozinha nas horas vagas.

Posts que você pode gostar

Post Boleto Bancário

Conheça o boleto recorrente

Post Gestão e Negócios

5 dicas de como fidelizar clientes

Post Financeiro

Pagamento instantâneo: você já conhece o PIX?

Post Segurança

Black Friday: como se proteger das tentativas de fraude?

Deixe seu comentário