Quem somos | Materiais Educativos | Fale com nosso consultor
Post

5 dicas de organização financeira para pequenos empresários

Ter uma boa organização financeira no seu negócio, seja ele de pequeno, médio ou grande porte é algo fundamental para a saúde financeira da sua empresa.

Uma boa administração financeira possibilita a você tomar decisões estratégicas que levará ao crescimento da sua empresa de forma saudável e estruturada.

É muito comum, principalmente no Brasil, empresas de pequeno porte negligenciarem o seu controle financeiro e por causa dessa falha, muitas empresas fecham nos seus primeiros anos de vida.

Em 2106 o Sebrae apresentou dados da pesquisa “Sobrevivência das Empresas no Brasil”, que foi divulgada em outubro do mesmo ano, onde aponta que a falta de planejamento financeiro é responsável pelo fechamento de 25% das empresas no Brasil.

Para que sua empresa não vire estatística, aconselho que faça a leitura deste artigo onde te darei 5 dicas de organização financeira para pequenos empresários.

1 – Não misture as despesas pessoais com as da empresa

Misturar as despesas pessoais com as da empresa é mais comum do que parece, quando estamos falando de pequenos empresários. Em grande parte das vezes que isso ocorre, ele não é tratado como um problema, propriamente dito, mas talvez um deslize. Mas na verdade isso é um grande problema que pode ter grandes consequências.

É muito importante que você saiba exatamente quanto a sua empresa tem de receitas e despesas. O saldo da sua conta bancária empresarial precisa estar de acordo com seus relatórios. Busque ter um cartão de crédito exclusivo para sua empresa, assim saberá com exatidão o quanto tem tido de despesas, sem se confundir com seus gastos pessoais.

Seja rígido com o controle financeiro do seu negócio. Não faça retiradas no caixa da empresa para pagamentos de dívidas pessoais. Tendo as atitudes corretas, você possibilitará que sua empresa tenha um real ganho em organização e lucratividade.

2 – Registre todas as entradas e saídas

Para que se tenha uma boa organização financeira, é primordial que você tenha conhecimento de todas as suas receitas e despesas, portanto é muito importante ter tudo registrado.

Use a tecnologia a seu favor. Faça planilhas ou contrate um sistema de gestão e tenha todos os seus registros de entradas e saídas lançados. Use gráficos, faça comparativos com meses anteriores.

Faça uma análise do seu fluxo de caixa pelo menos uma vez por semana e analise o andamento da sua empresa. Veja aqui alguns fatores que podem afetar o seu fluxo de caixa.

Você precisa estar atento a tudo o que se passa nas finanças da sua empresa. Assim você evitará surpresas desagradáveis quando pensar em fazer uma análise mais aprofundada.

3 – Faça um planejamento orçamentário

Uma boa gestão financeira traz direcionamento à empresa, mostrando onde você pode chegar e quando alcançará o objetivo.

Um planejamento orçamentário faz com que você entenda a real situação financeira do seu negócio e possibilita dar os passos certos, no momento adequado e qual direção deverá seguir.

Você pode fazer este planejamento anualmente, mas ele precisará ser revisado, até mesmo para saber se sofrerá algum tipo de alteração, adequando ao momento em que a empresa está vivendo.

Se você ainda não tem um planejamento orçamentário, é importante que comece agora mesmo. Inicie dando os primeiros passos:

– Reunindo os sócios e buscando definir quais são as prioridades da sua empresa

– Faça uma lista, a mais detalhada possível, com as atitudes que vocês precisam tomar para que melhore o desempenho financeiro do seu negócio

– Faça uma pesquisa de mercado sobre o seu produto ou serviço, analisando seus concorrentes e comparando se o seu preço está de acordo com a qualidade do que está oferecendo ao mercado

Estes pequenos passos iniciais certamente te permitirão alçar voos maiores.

4 – Corte custos desnecessários

Todas as empresas possuem custos fixos e variáveis.

Nos custos fixos, raramente você encontrará margem para cortes. Já nos variáveis é mais comum que você encontre despesas que podem ser cortadas sem influenciar na qualidade o seu produto ou até mesmo na satisfação do seu cliente.

Um exemplo que podemos abordar, são os custos que sua empresa tem com despesas bancárias. Se você, por exemplo, recebe através de boleto utilizando uma carteira de cobrança junto a uma instituição financeira, é provável que esteja pagando tarifas mais altas do que se optasse por um sistema intermediador de pagamento.

Veja algumas vantagens que um intermediador de pagamentos oferece ao seu negócio.

5 – Seja organizado

Você precisa acompanhar todas as movimentações da sua empresa. Saber sobre todas as receitas, despesas, contas a pagar e a receber no dia, saldos bancários e caixa da empresa. É importante que você faça um acompanhamento diário.

Ser organizado, ter controle do seu negócio, te ajuda nas tomadas de decisões, seja a curto ou a longo prazo. Tenha em mente que dedicar tempo à organização da “papelada” do seu negócio não é perda de tempo, mas sim um investimento em você e na sua empresa para que ela te traga bons resultados.

Robelio Junior

Um mineiro graduado em computação, que se apaixonou pelo marketing digital e trabalha na área desde 2012. Torcedor do São Paulo Futebol Clube e chef de cozinha nas horas vagas.

Posts que você pode gostar

Post Segurança

Como proteger seus clientes e sua empresa da fraude de identidade

Post Segurança

Como se prevenir contra a fraude do boleto bancário

Post Financeiro

Custo de cobrança: 5 dicas para reduzir o seu

Post Boleto Bancário

Entenda como funciona o pagamento recorrente via boleto

Deixe seu comentário