Quem somos | Materiais Educativos | Fale com nosso consultor
Post

5 dicas fundamentais de gestão financeira para MEI

Ter uma boa gestão financeira é primordial para o sucesso e longevidade do seu negócio, independentemente de qual seja o tamanho ou ramo de atuação.

Porém muitos Microempreendedores Individuais (MEI) discordam disso, acham que não precisam ter uma gestão financeira rigorosa, já que possuem um regime de tributação mais simplificado.

Pensar desta forma é um erro que pode custar a continuidade do negócio. Segundo o Portal do Empreendedor, no Brasil há 8,4 milhões de MEIs formalizados e o Sebrae aponta em uma pesquisa realizada em 2018 que a cada 10 MEIs, 5 fecham as portas e um dos fatores apontados é a má gestão financeira.

Preparei este artigo para te dar 5 dicas fundamentais de gestão financeira para MEI e assim fazer com que seu negócio não vire estatística. Se você é um Microempreendor Individual, recomendo que leia este artigo até o final e aplique essas dicas em sua empresa.

1 – Faça um planejamento

Um dos primeiros passos para se ter uma boa gestão financeira, é fazer um planejamento orçamentário do seu negócio.

Um plano bem elaborado, faz com que você tenha uma base de apoio para ter um bom controle financeiro, pois com ele você estará fazendo:

– Projeção de gastos e receitas para os próximos meses;

– Projeção de lucratividade;

– Projeção de investimentos;

– Definição de qual será o seu pró-labore e com que frequência pretende ter uma maior retirada;

– Projeção de crescimento a médio e longo prazo.

É recomendável que você revise o seu planejamento de uma forma periódica, seja a cada 3 ou 4 meses, para saber se a sua empresa está atingindo as metas definidas e onde precisará dedicar mais tempo para que os objetivos sejam alcançados.

Faça uma pesquisa de mercado sobre o seu produto. Analise os seus concorrentes, veja se o preço que está cobrando por seu produto ou serviço está de acordo com a qualidade com que você oferece. Seja crítico, não caia na armadilha de achar que o seu produto é o melhor do mercado, simplesmente porque é seu.

2 – Separe finanças pessoais das empresariais

Parece óbvio, mas este é um erro cometido por muitos microempreendedores. Utilizar o dinheiro da empresa para pagamento de contas pessoais, além de demonstrar uma grande falta de organização, atrapalha e muito o seu controle financeiro e impacta diretamente em seu fluxo de caixa.

É muito importante que você tenha uma gestão financeira rígida. Não fazer retiradas do caixa para uso pessoal está diretamente ligado ao controle das finanças da empresa. Isso ser feito uma vez para algo emergencial, pode abrir precedentes para que você torne esse hábito como algo normal.

Jamais use o seu cartão de crédito pessoal para compras ou pagamentos de contas da empresa, tenha um cartão exclusivo para o seu negócio, desta forma você saberá exatamente como estão as despesas e saberá cortar o que for necessário para que sua empresa tem uma boa saúde financeira.

Busque ser o mais organizado possível quando se tratar da gestão financeira do seu negócio, pois assim você terá não somente um ganho organizacional, mas também possibilitará que sua empresa cresça da forma correta, sem atropelar nenhuma etapa.

3 – Registre todas as suas entradas e saídas

Registrar todas suas receitas e despesas é muito importante para que tenha um real controle de tudo o que entra e sai do seu caixa.

Caso não possua um sistema que possa te auxiliar neste controle, use uma planilha, mas não deixe de anotar as suas entradas e saídas. Faça um comparativo com os meses anteriores, analise como está o andamento da sua empresa e faça os ajustes necessários para atingir os objetivos traçados no planejamento.

Uma boa gestão financeira evita com que você tenha surpresas desagradáveis quando precisar fazer uma análise mais minuciosa no seu livro caixa.

4 – Se precisar, busque ajuda

Como você pode observar, ter uma boa gestão financeira no seu negócio não é uma tarefa tão simples como parece.

Muitos empreendedores têm conhecimentos em muitas coisas, mas talvez o financeiro não seja o seu ponto mais forte, então se preciso for, procure um contador ou administrador. Você não precisa contratar este profissional, mas peça uma consultoria, até mesmo para você possa entender melhor sobre os processos administrativos e financeiros de uma empresa e assim ter plenas condições e de fazer uma boa gestão financeira.

5 – Automatize o seu processo de cobrança

Ter suas cobranças automatizadas, traz a você dois benefícios imediatos. O primeiro é que proporciona profissionalismo e organização financeira ao seu negócio. E segundo é que te poupa tempo.

Quando falo sobre poupar tempo, estou me referindo ao período do dia em que você está se dedicando para gerar as cobranças e enviar a seus clientes. Depois é preciso analisar os que estão inadimplentes, enviar um e-mail com um lembrete de vencimento, dentre outras coisas. Provavelmente estará fazendo isso em uma planilha de Excel e é bom que tenha este controle.

Mas quando se é um MEI, o seu tempo é mais que precioso, pois você precisa estar de olho em todos os setores do seu negócio, seja na produção ou compra do seu produto, seja na sua gestão financeira, no marketing, enfim, em todas as áreas.

Por isso é importante que você automatize o seu processo de cobrança e para isso você pode utilizar um sistema intermediador de pagamentos, como o Padmoney. Com ele você gera a cobrança e o sistema faz toda a gestão para você, como:

– Envio da cobrança para seu cliente por e-mail e/ou SMS;

– Envio de lembretes antes e depois do vencimento do boleto;

– Portal do cliente para que o seu cliente tenha acesso a todo seu histórico de pagamentos;

– Relatórios gerenciais.

Leia também: MEI pode emitir boleto para receber seus pagamentos?

Se o seu negócio for como prestador de serviços que exige uma cobrança recorrente do seu cliente, como pagamentos de mensalidades, o Padmoney oferece a cobrança recorrente através de boletos bancários. Entenda como funciona o pagamento recorrente via boleto.

Além de toda as funcionalidades que o Padmoney oferece para você, ele também possui uma das menores tarifas do mercado quando falamos de boleto bancário e você só paga por boleto liquidado, ou seja, você só é tarifado no Padmoney caso o seu cliente efetue o pagamento do boleto.

Cadastre-se agora mesmo e tenha todo o seu processo de cobrança de forma automatizada pagando a menor tarifa do mercado.

 

Robelio Junior

Um mineiro graduado em computação, que se apaixonou pelo marketing digital e trabalha na área desde 2012. Torcedor do São Paulo Futebol Clube e chef de cozinha nas horas vagas.

Posts que você pode gostar

Post Segurança

Conheça a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais

Post Gestão e Negócios

Por que tantas empresas fecham no Brasil?

Post Gestão e Negócios

Análise SWOT ou FOFA

Post Gestão e Negócios

Como superar a crise financeira nos negócios?

Deixe seu comentário